Paquetaense - Ilha de Paquetá


Ilha de Paquetá

Imagem da Bandeira do Brasil - Ilha de Paquetá - Paquetaense

Rio de Janeiro - RJ - Brasil


A ilha de Paquetá
localiza-se no interior nordeste da baía de Guanabara,
na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.
A principal forma de chegar à ilha é
através das barcas que partem da Praça XV.
A Ilha de Paquetá, com 1,2 quilômetro quadrado de área
e 8 quilômetros de perímetro. Em sua maior extensão,
da ponta do Lameirão à ponta da Imbuca, mede 2 316 metros e,
na menor, na ladeira do Vicente, aproximadamente 100 metros.
Em seu relevo, contam-se nove morros,
o mais elevado dos quais o morro do Vigário,
na cota de 69 metros acima do nível do mar.

A Ilha de Paquetá dista aproximadamente 17 quilômetros da
Praça 15 de Novembro, no Centro da cidade do Rio de Janeiro.

Constitui-se no Bairro de Paquetá,
um tradicional e pacato recanto turístico da cidade.

A Ilha de Paquetá encontra-se próximo
à Área de Preservação Ambiental de Guapimirim,
área de conservação de manguezais, fonte de vida marinha.
Essa proximidade, aliada ao fato de que a ilha se encontra
em uma área da baía com grande profundidade, no seu canal principal,
faz com que as águas das praias de Paquetá,
ricas em peixes, sejam constantemente renovadas.

Originalmente, a ilha era recoberta pela Mata Atlântica.
Com a colonização europeia, ao longo dos séculos,
foram sendo introduzidas espécies exógenas, particularmente árvores
frutíferas, palmeiras e flamboyants, destacando-se um exemplar de baobá
carinhosamente apelidado pela população de "Maria Gorda".
Essa vegetação oferece suporte a uma variedade
de espécies de aves silvestres, marinhas e migratórias.

Atribui-se ao cosmógrafo francês André Thevet,
integrante da expedição de Nicolas Durand de Villegagnon,
a descoberta da ilha pelos europeus, ainda em 1555,
quando da fundação da chamada França Antártica.
Na época, a ilha era habitada pelos
índios tamoios, também chamados tupinambás,
os quais se aliaram aos franceses contra os colonizadores portugueses.

Na ilha, houve uma importante batalha
da guerra entre tupinambás e franceses, de um lado,
e portugueses e índios temiminós, de outro.
Na batalha, morreu o grande líder tupinambá Guaixará.
No contexto da campanha para a expulsão
definitiva dos franceses pelas forças portuguesas
comandadas por Estácio de Sá e da
fundação da cidade do Rio de Janeiro em 1565,
nesse mesmo ano a ilha de Paquetá foi doada,
sob a forma de duas sesmarias, a dois dos capitães portugueses:
a parte norte da ilha, atual bairro do Campo, coube a Inácio de Bulhões,
e a parte sul, atual bairro da Ponte, a Fernão Valdez.

Fonte: Wikipedia.



Twitter

Curtir no Facebook

Política de privacidade
Jorge Soares - Entre em Contato